ACERVO

FRIDA BARANEK | Long Flat Swirls | 2009

FRIDA BARANEK | Long Flat Swirls | 2009

Conhecida principalmente por suas esculturas feitas com material industrial, Frida Baranek está presente em nosso acervo com a gravura Long Flat Swirls. Trata-se de uma monotipia em que a artista depositou fios e cabos embebidos em tinta sobre o papel, retirando-os depois, ficando apenas o registro da sua ação. A artista utilizou a técnica de collagraph – um tipo de gravura que usa texturas para impressão.

Quer conhecer o acervo permanente ou precisa de fotos das obras em alta qualidade? Escreva para o e-mail educativo@institutoling.org.br.

ficha técnica

  • Autor

    Frida Baranek

  • Título

    Long Flat Swirls (Redemoinhos longos planos)

  • Ano

    2009

  • Técnica

    Collagraph sobre papel

  • Dimensões

    100 x 300 cm

  • Local da obra

    Sala do Meio

 

Abaixo você encontra um vídeo com a audiodescrição da obra:

 

Sobre as aproximações entre a escultura e a gravura na produção de Baranek, o professor Roberto Conduru comenta:

“A persistência também pode ser notada em um componente comum à escultura feita de corda e à gravura: o emaranhado, um símbolo da tensão entre o amorfo e o estruturado que tem perpassado sua poética. Nesse sentido, vale observar que recentemente ela começou a apresentar lado a lado suas experimentações nos domínios escultórico e gráfico — outro indício de experimentações concomitantes e interconectadas.”

Roberto Conduru no texto jogar / viver


Sobre a Artista

Frida Baranek
Site A Cor da Casa

Nascida em 1961, no Rio de Janeiro. Vive e trabalha em Cascais, Portugal.

De 1978 a 1983, Frida Baranek inicia sua prática de escultura em estúdios no MAM e na Escola de Artes Visuais, no Rio de Janeiro. Em 1983, se forma em Arquitetura pela Universidade Santa Ursula. Em 2012, fez mestrado em Desenho Industrial pela Central Saint Martins de Londres. Um ano depois, o MAM-Rio faz uma retrospectiva de seu trabalho com a exposição Confrontos. Já participou de importantes mostras coletivas, como na Bienal de São Paulo (1989), na Bienal de Veneza (1990), no MoMA (1993) e no MAM-SP (1988 e 1995).

A artista já viveu e trabalhou em diversas cidades, como Rio de Janeiro, São Paulo, Paris, Berlim, Nova York e Londres.

Sobre o trabalho da artista, o jornalista e curador Oscar D’Ambrosio declara:

“Se é possível falar em um grande segredo no universo criativo de Frida, ele está no estabelecimento de composições e estruturas em que o pesado se torna leve e os materiais, independentemente de seu peso, passam a ser linhas.”

Oscar D’Ambrosio no texto Frida Baranek: pensamento em ação

Suas obras integram o acervo de importantes instituições no Brasil e no exterior, tais como a coleção de Patrícia Phelps de Cisneros, em Nova York; o NMWA (Museu Nacional das Mulheres nas Artes), em Washington; o Museu da Universidade de Washington, em St. Louis; o Ministério da Cultura na Fonds National d’Art Contemporain, na França; além do MAM-Rio, o MAM-SP; e, recentemente, o MAR (Museu de Arte do Rio).

Autor(a): Camila Salvá

 

PARA SABER MAIS sobre o artista

Site da artista

Instagram da artista

Confira a matéria feita pelo Programa Andante sobre a exposição Confrontos, a maior individual sobre a artista no Brasil, que aconteceu no MAM-Rio em 2013!

No site de Frida Baranek é possível conhecer trabalhos similares ao que temos no acervo. Confira na seção Paper/Silk!

Confira um vídeo da artista falando sobre sua criação artística

 

Referências

Site da artista. Disponível em: http://www.fridabaranek.com

Texto de Roberto Conduru sobre a artista. Disponível em: https://raquelarnaud.com/artistas/frida-baranek-2/#textos

Texto de Oscar D’Ambrosio sobre a artista. Disponível em: https://oscardambrosio.com.br/textos/133/frida-baranek-pensamento-em-acao